domingo, 19 de setembro de 2010

PENTECOSTAIS: ARMINIANOS OU CALVINISTAS?

Escolhi abordar esse tema em vista da grande confusão existente na compreensão da doutrina da Salvação e sua relação com os sistemas calvinista e arminiano.

Originalmente os Pentecostais descendem do movimento de rua Azuza que, por sua vez, desenvolveu-se a partir do movimento Holiness (Movimento de Santidade) motivado e propagado pelo metodismo. Para entender esse movimento precisamos compreender primeiro o calvinismo.

O Calvinismo, nascido na reforma, é a adoção do sistema teológico (Platônico) defendido por Agostinho de Hipona aliado a uma forma de governo “teocrática” (Governo de Deus), sendo que prefiro o termo “eclesiocrática” (governo da Igreja).

O Movimento de Santidade nascido de dentro das igrejas reformadas (principalmente metodistas), procura enfatizar a necessidade de uma conversão individual, uma conversão pessoal e verdadeira. Isso só pode ser entendido se conhecermos a doutrina da salvação pós-reforma: Sola Fide e Sola Gratia.

Ambas as doutrinas – Sola Fide e Sola Gratia – foram escritas em oposição à Igreja Católica Romana que pregava as indulgências como forma de alcançar a salvação. Assim, para o catolicismo a pessoa só chega a Cristo por meio da Igreja; e na reforma protestante, a pessoa só se torna a igreja por meio de Cristo. Dessa forma as indulgências foram banidas e a salvação passou a estar unicamente em Deus, ocultas em Deus, nos seus decretos eternos. Somente Deus decide a salvação, nada, nem mesmo os “sinais de salvação” (que é a vida na Igreja) podem afirmar a salvação. Podemos concluir nesse super-breve resumo que a doutrina da salvação na fé reformada nasceu em oposição à fé católica, e foi desenvolvida numa prática nacionalista: A Alemanha é Luterana, Genebra é Calvinista, Inglaterra é Anglicana, etc...

Essa perspectiva sem participação humana fez com que a salvação fosse algo nacionalista, todos que nascem na Alemanha são luteranos, não precisam aceitar Jesus, pois já nascem em uma nação protestante. O mesmo aconteceu com as nações calvinistas.

Em oposição a essa perspectiva de salvação infrutífera e impessoal surgiu o movimento de Santidade procurando recuperar o vigor da Igreja Primitiva, retornar ao primeiro amor, encontrar o verdadeiro sentido da salvação. O principal advogado desse espírito de reavivamento foi Wesley. Sua principal mensagem foi a “segunda benção”, uma experiência de coração aquecido que despertava amor pelas almas. Wesley afirma que só se converteu verdadeiramente após seu aquecimento de coração. Essa mensagem produziu grande aversão no protestantismo da reforma, pois contrariava os “Sola’s” e pregava a necessidade de uma conversão genuína, duvidando da “conversão nacional”. Esse movimento de despertamento encontrou força no Arminianismo, uma vez que sua teologia (uma moderação do calvinismo) procurava levar as pessoas a participarem de sua salvação, a buscarem santidade e mudança de vida.

Diante desse breve histórico esboço uma pequena teologia sistemática para compreensão do problema e definição de uma linha teológica para o pentecostalismo.

PRINCIPAIS CRENÇAS PENTECOSTAIS:

a) Os pentecostais crêem que se uma criança morrer na idade da inocência não vai para o inferno.

b) Os pentecostais crêem em livre arbítrio – O Homem é responsável por seus atos.

c) Os pentecostais não crêem que Deus escolheu uns para o céu e outros para o inferno.

Mediante essas três afirmações esboçarei os erros teológicos comuns às teologias pentecostais contemporâneas e proporei um pequeno esboço de teologia que condiga coerentemente com nossa fé pentecostal.

ERROS TEOLÓGICOS COMUNS:

MISTURAR CALVINISMO COM ARMINIANISMO. O principal erro teológico na maioria dos teólogos pentecostais é entender que teologia é salada de fruta, podendo colocar e tirar o que quiser e quando quiser. A teologia SISTEMÁTICA indica que existe um sistema de idéias interligadas, ou seja, a doutrina de Deus está ligada com a doutrina do homem e com a doutrina de Cristo, Salvação, Espírito Santo e Escatologia, uma alteração na doutrina do homem, ou em qualquer outra, e todo o sistema estará comprometido. Veja o seguinte exemplo bem comum:

“[...] a Biblia não só revela o primeiro estado do homem, como relata a história da perda do seu primeiro estado de santidade, pela Queda, e também a possibilidade de sua restauração (Cl 3:10; Ef 4:24)”; “Portanto, já nascemos espiritualmente contaminados (Rm 5:12) [...] o homem tem dentro de si uma natureza pecaminosa [...]”; “Segundo a Bíblia, o pecador não sabe escolher o bem; ele sempre opta pelo mal [...] a causa é o pecado congênito em nossa natureza decaída”; “Deus não elege uns para a salvação, e outros, para a perdição. O homem é capaz de fazer a livre-escolha. E a graça de Deus não é irresistível, como muitos ensinam [...]”(GILBERTO A, et all, Teologia Sistemática Pentecostal, Rio de Janeiro:CPAD, 2008, pp.306,344,346,367).

“Adão e Eva foram criados “bons” (p.267) [...] o pecado de Adão afetou muito mais que a ele próprio [...] Esta questão é chamada pecado original [...] Por estar a natureza humana tão deteriorada pela Queda, pessoa alguma tem a capacidade de fazer o que é espiritualmente bom sem a ajuda graciosa de Deus.”; “Se o pecador optar por arrepender-se e crer, Deus é o único agente ativo. Se o pecador optar por não se arrepender ou não crer, a culpa é inteiramente deste” (HORTON S. M. Teologia Sistemática, Rio de Janeiro:CPAD, 2002, p. 267-269;p.367)

Ambos os autores (Assim como muitos outros teólogos pentecostais) produzem um erro teológico grotesco: Como uma pessoa que tem sua natureza caída pode chegar a crer sem a atuação de Deus? Como uma pessoa com a natureza caída pode possuir livre escolha? Como alguém com natureza deteriorada pela Queda pode escolher arrepender-se e crer? O sistema calvinista possui uma resposta que condiz com seu sistema: A Eleição Eterna e Incondicional de Deus, já os pentecostais querem que o homem possua uma natureza caída e sejam capazes de escolher crer ou não crer.

DESCONSIDERAR A CAUSALIDADE. Outro erro conseqüente do primeiro é ignorar a causalidade em um sistema. Todo sistema, para ser um sistema, deve ter princípios de causalidade (Causa e Efeito). Assim, a crença na doutrina da Queda produz os seguintes efeitos: A Queda pressupõe estado de Graça Original, que por sua vez pressupõe o Pecado Original, que pressupõe a total incapacidade humana; que pressupõe a Eleição e Salvação unicamente por Deus. Ou seja, crer na Queda é o mesmo que crer na eleição incondicional para o céu e para o inferno, e crer que as crianças serão condenadas, mesmo na inocência.

CONSTRUÇÃO DE UMA TEOLOGIA ARMINIANA MODERNA

O Arminianismo original também acreditava na Queda, o que gerava uma crise em seu prédio teológico (heresia), motivo por que foi condenado no sínodo de Dort. Assim, uma teologia pentecostal equilibrada com suas crenças salvíficas deve:

1) Acreditar na Criação perfeita, mas sem algo como a Graça Original. No máximo, podemos afirmar que a graça original era a presença de Deus que o homem perdeu.

2) A consequência será a eliminação da doutrina da Queda e do Pecado Original. (Termos que a propósito, nem aparecem na Bíblia). O Pecado não deturpou a natureza humana, mas afastou o homem de Deus. O homem tem a capacidade de decidir-se por Deus em Cristo desde que tenha sido alcançado pela ação (externa) da palavra, da Igreja e do Espírito Santo.

3) Essa doutrina possibilitará uma doutrina da Salvação mais equilibrada, onde o homem pode decidir seguir ou não a Cristo, mas sem Cristo, sua palavra e seu testemunho, o homem não tem como decidir-se pela salvação. Ele pode escolher, mas apenas em Cristo. O Homem não se salva, mas encontra a salvação.

4) A salvação não é uma regeneração natural de um pecado natural passado de pai para filho, mas a aproximação do homem a Deus mediante Jesus Cristo.

5) O Espírito Santo não é um agente interno para salvação (Sendo derramado nos corações para convencer os homens do pecado), mas um agente externo de testemunho da palavra de Deus por meio dos sinais e do poder e missão da Igreja. O Espírito fortalece o crente para testemunhar e alcançar os perdidos.

6) Eclesiologia: Ser igreja é viver o IDE

7) Escatologia: Aproximação e Identificação de toda humanidade com Deus por meio de Cristo.

Qualquer dúvida estou a disposição

Pf. Eduardo Sales de Lima

14 comentários:

  1. gostei das suas ponderaçoes mas voce citou do antonio gilberto o que voce achou bom para dar suporte as suas teorias da salvação.
    Ele tambem diz que o homem precisa da ajuda de Deus para fazer a escolha correta em seu livre arbitrio,ele fala que o homem sem a ajuda de Deus não pode efetuar a sua salvação,ele diz que a salvação é chamada de ressurreição,e novo nascimento ,não obstante o homem venha desejar tão grande salvação é Deus quem efetua a salvação (JN 2.9b)o homem esta morto em delitos e pecados (EF 2.2)um morto nada pode fazer para ressucitar toda a ajuda tem de vir de fora.
    Ele quis dizer que a salvação pertence ao Senhor (JN 2.9b)O homem tem o livre arbitrio para escolher ou rejeitar"vós sempre resistis ao Espirito Santo (at 7.51)Deus é o autor da Salvação o homem pela Fé pode abraçala ou rejeitala"chamei-vos mas não me respondestes(JR 7.13)O homem recebe a salvação pela Fé,ora a Fé salvifica não é merito,afinal que mérito tem o homem na sua salvação?ele só a aceita não fez nada por ela ,ele cre naquele que morreu,e não tem mérito nenhum nisto,quando for citar o Antonio Gilberto coloque o que ele realmente colocou,isto se chama texto sem contexto,afinal com todo respeito os calvinistas sempre foram eisegetas,em uma teologia que tenta "exaltar a soberania de Deus"mas quer exclui os outros atributos de Deus,como Diz Finey como um ministro calvinista pode oferecer salvação se não sabe se a pessoa é predestinada?Alias a expiação é limitada ou ilimitada?São as divergencias calvinistas de Strong e Hodge,berkof e etc
    Será que Deus não foi sincero quando mandou os apostolos pregarem para todo mundo?creio que não.
    Será que o salvo pode perder a sua salvação?Porque sera que Deus nos adverte quanto ao perigo da apostasia se o salvo nunca vai abandonar ou perder a salvação?
    A expiação é limitada?O cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo(JO 1,29)Strong em sua teologia sistematica cita que o proprio calvino depois no final de sua vida quando leu (1JO 2.2)creu na expiação ilimitada,se vivesse mais sera que que não desistiria dos demais pontos exceto o da dpravação total?
    Conclusão o calvinisto é uma Teologia que pega textos isolados e querem fazer um sistema sem o contexto geral da biblia.

    ResponderExcluir
  2. olá fábio, desculpe a demora, o assunto é difícil, por isso façamos algumas considerações e ponderações. 1º concordo contigo que a teologia calvinista é uma eisegese baseada na amarração de textos prova. Quanto à questão da Citação de Gilberto, não está fora de contexto. O objetivo da citação é revelar a mistura (Arminio foi condenado em dort pela mistura. Onde está a mistura? Na doutrina da queda com o livre arbítrio, são inconciliáveis, essa é a mistura proposta na obra organizada por Gilberto. Ele realmente afirma o livre arbítrio, mas quando defende a queda, nega o livre arbítrio. Veja:
    Se o ser humano caiu e perdeu a capacidade de ir a Deus (teologia agostiniana e calvinista)como ele pode ter livre arbítrio? O arbítrio somente será livre se ele não cair (não debilitar a natureza). Esse é o erro de muitas teologias pentecostais, pregar a queda e esquecer que a consequencia é a perda do arbítrio e, la na frente, pregar que o homem que caiu e perdeu a capacidade de voltar-se para Deus é livre para decidir.
    Para defender o livre arbítrio é preciso abandonar a teologia da Queda.
    Paz,
    Espero que tenha ajudado,
    Qualquer coisa, é só teclar.

    ResponderExcluir
  3. Ola querido gostei muito da postagem, só queria argumentar que o pentecostalismo não foi só baseado apenas pelo arminianismo mais também por alguns de influencia calvinista, realmente o movimento de santidade/holliness(ligado ao metodismo wesleyano) e a doutrina arminiana influenciou mais da metade das igrejas pentecostais de hoje como a histórica igreja de deus de cleveland,e outras...onde podemos incluir alguns fundadores que erao batistas de doutrina calvinista e forao expulso por defender a doutrina de santidade e o arminianismo, que era defendido pelos primeiros avivalistas pentecostais da américa no inicio do sec. XX o que gerou a fundação da igreja de deus em cristo(azuza), assembleias de deus no brasil e outras, logo depois podemos mencionar alguns que era calvinista como luigi francescon um imigrante italiano nos eua, que sofreu influencia do pentecostalismo, e adotou o batismo por imersão, porem não aderiu ao arminianismo, mantendo seu ponto de vista teologico calvinista da onde onde contribuiu com a fundação de varias igrejas como a congregação cristã, enfim as influencias pentecostais são múltiplas e não existe uma doutrina principal... porém as base do pentecostalismo está totalmente ligado ao avivamento da rua azuza..

    ResponderExcluir
  4. O gente gostei de ler estes comentários e tudo mais e procurei sobre o assunto para aprender mais porque eu não não teóloga nem professora e tudo mais.

    Então vamos lá resumindo o tal do calvinismo acredita que o Deus que se diz não fazer acepção de pessoas escolheu um monte de gente que não pediu pra nascer pra ver o infeliz vivendo neste mundo miserável e ser predestinado a queimar para sempre no lago de fogo?

    E que pior ainda....a igreja que eu frequento a Presbiteriana segue esse conceito?

    Se a bíblia diz que ele fez um monte de prodígios no velho testamentos e curas no novo para mostrar o seu poder pra quê que um "Deus de Amor" ia arquitetar um plano para mandar obrigatoriamente uma multidão para queimar eternamente?
    to na religião errada?

    ResponderExcluir
  5. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
    João 3:16
    Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá pela fé. Romanos 1:17

    .(..que nele crê) então não é pela fé?

    Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.
    João 3:36
    ....E romanos 11 o que quer dizer? É caô?
    E quando Jesus perguntou quem dizes que sou e o homem respondeu és o filho de Deus e Jesus respondendo lhes disse:
    Na verdade quem te mostrou foi o espirito santo.
    E a bíblia não nos ensina que na verdade o espirito de Deus que nos testifica as coisas que são dele?
    O homem caiu. E Jesus na verdade não é o próprio Deus que se fez carne e habitou entre nós para nos reconciliar com Ele?

    Se este Calvinismo está certo então o filme todo poderoso está certo também quando Jim Carrey diz que Deus é uma criança grande brincando com um monte de formigas indefesas?( os predestinados ao inferno e sem chance de salvação)?

    Me desculpem mas todos os artigos que li sobre calvinismo me diz a mesma coisa. Se quiserem me esclarecer aceito. obrigada e fiquem com Deus.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã, mas é pela fé mesmo!!!

      A grande questão arminiana e calvunista na minha opinião nao é se é pela fe ou nao, mas quem tem a fé! !
      O monergismo (ação somente de Deus) acredita que a fé em Deus vem somente de Deus e ele da a quem quer!!! Agora o sinergismo (acao conjunta Deus e homem) acredita que a fé pode nascer no coracao do homem!!!
      Por isso os dois creem que quem crer sera salvo, mas segundo o Calvinismo quem cre sao somente os eleitos!!! Enquanto no arminianismo quem cre sao aqueles que escolheram crer!!

      Excluir
    2. Eu acredito que os eleitos de Deus são baseado não na escolha por parte de Deus,mas pela presciência Dele em saber as escolhas dos homens antecipadamente.
      Nada pega Deus de surpresa as vezes vc pode estar pregando para alguém e Deus já saber que o tal não tem salvação.

      Excluir
  6. A questão mais interessante é que pela presciência de Deus Ele já sabe quem vai crer.
    E pelo fato Dele JÁ saber Ele pode ter os seus escolhidos baseado na sua precisão escatológica.
    Só que isto Ele não dar este direto a nenhum ser humano fazer este tal julgamento e ainda escolher a quem pregar.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. fico chocada com a visão das pessoas de si mesmas e de Deus.Alguns vê Deus como vidente,que está observando e então diz o que está vendo sem participação nenhuma e eles são deuses que faz acontecer.Jesus não veio aqui para fazer um espetáculo para quem quiser escolher não,Ele sabia o que estava fazendo e foi Ele quem nos escolheu e não nós a Ele.

    ResponderExcluir
  9. Talvez a discussão não seja arminianismo e calvinismo,mas sim ultracalvinismo,uma ala radical do calvinismo que prega que Deus predestina alguns para salvação e outros para o inferno,agora temos temos que conversar sobre responsabilidade humana e soberania de Deus,o capítulo 9 e 10 de romanos com certeza esclarecerá muitas dúvidas,ou seja a doutrina dá predestina não é uma invenção de Calvino ou Luthero,mas um retorno às doutrinas do Espírito Santo,que levou homens a escreverem,capítulo 3 de romanos também vai falar sobre o pecado é que não há ninguém que busque a Deus,faço um p segunda algum de vocês por vocês escolheriam Deus,abandonando o pecado ou a vida que você e eu tínhamos,capítulo 1 fala sobre aura de Deus,recomendo um livro chamado Conhecimento de Deus,auto JJI Parc
    ker,alguns livros de Spurgion
    ,e principalmente o capítulo 8 e 9 de romanos,é o Evangelho de João capítulo 17,neste capítulo Jesus ora por todo aquele que Pai deu a ele,e não diga pelo mundo,um abraço ventre que Deu possa esclarecer as dúvidas de cada um.

    ResponderExcluir
  10. Recomendo o debate entre Lutero e Erasmo,o nome do livro e nascido escravo,boa leitura.

    ResponderExcluir